Clinica Crescer

Pesquisadores encontram banco de dados exposto com 1,2 bilhão de registros e 622 milhões de e-mails

Informações podem ter sido coletadas de perfis de usuários em redes sociais, mas responsáveis pelo servidor são desconhecidos. Servidor de dados reuniu pacotes de empresas

Por Redação em 27/11/2019 às 14:06:11


Informações podem ter sido coletadas de perfis de usuários em redes sociais, mas responsáveis pelo servidor são desconhecidos. Servidor de dados reuniu pacotes de empresas especializadas em coleta de informações para marketing e recrutamento.

Stanislav Skopal/Freeimages.com

Os pesquisadores de segurança Bob Diachenko e Vinny Troia identificaram um banco de dados completamente exposto na web com 1,2 bilhão de registros. O servidor foi encontrado sem nenhuma proteção de senha ou limitação de acesso, o que caracteriza um vazamento de dados.

O servidor foi retirado do ar após uma denúncia ao FBI, mas o órgão policial não comentou sobre nenhuma medida. O servidor estava alocado na plataforma do Google Cloud, que qualquer empresa pode contratar para armazenar ou processar informações — em outras palavras, não é possível afirmar que os dados pertenciam ao Google.

O banco de dados possuía cerca de 622 milhões de endereços de e-mail e 50 milhões de números de telefone.

Cada registro podia ou não trazer outras informações, entre as quais a localização geográfica, o campo de atuação profissional, uma minibiografia e links para perfis em redes sociais, principalmente do LinkedIn. No total, 4 terabytes de informações estavam expostas.

Acredita-se que o servidor reunia quatro conjuntos de dados, sendo três da People Data Labs (PDL) e um da OxyData. Ambas são empresas especializadas no fornecimento de informações para marketing e recrutamento.

As duas empresas negaram responsabilidade sobre o servidor. A PDL admitiu, porém, que um de seus produtos pode ter sido usado para abastecer o banco de dados exposto.

Os detalhes da coleta desses dados são desconhecidos. Acredita-que que os cadastrados correspondem a informações de perfis redes sociais, que podem ser extraídas com uma técnica conhecida como "scraping" ou "raspagem de dados".

540 milhões de dados de usuários do Facebook ficam expostos em servidores da Amazon

Descubra se os seus dados foram expostos

Os dados deste vazamento foram cadastrados no site Have I Been Pwned, que compila históricos de vazamento e disponibiliza consultas para o público.

Para verificar se o seu e-mail constava entre os 622 milhões de endereços vazados, basta digitá-lo na página do Have I Been Pwned e aguardar o relatório por e-mail.

Quem já tem cadastro no site receberá automaticamente um alerta.

Tecnologia é a mesma de outros vazamentos

O banco de dados exposto foi construído com a plataforma Elasticsearch, que indexa pacotes de dados para facilitar o acesso e a pesquisa de informações. Diversos bancos de dados construídos com essa tecnologia têm sido encontrados expostos na internet, sem qualquer segurança.

Casos aconteceram inclusive no Brasil, em que um banco de dados com dados referentes a 190 milhões de CPFs estava aberto para consultas.

Em agosto, um vazamento em um servidor Elasticsearch atingiu uma empresa de controle de acesso por reconhecimento facial.

Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para [email protected]

Fonte: G1

Tags:   G1
Una Extintores Cajazeiras-PB
Cajazeiras Gesso

Comentários

Dentista do Brasil